A- A A+

A Gestão Sustentável dos Destinos Turísticos foi o tema que norteou os debates do primeiro Seminário de Secretários Municipais de Turismo de Santa Catarina, realizado nesta terça-feira, 25, em Florianópolis.

O evento promovido pela Secretaria de Estado de Turismo Cultura e Esporte (SOL) teve como objetivo discutir e reforçar o planejamento para o desenvolvimento do setor em todas as regiões do Estado. A abertura do seminário contou com a presença do secretário nacional de Estruturação do Turismo do Ministério do Turismo (MTur), Neusvaldo Ferreira Lima, do secretário de Estado do Turismo, Cultura e Esporte (SOL), Leonel Pavan, do presidente da Santur, Valdir Walendowsky, da prefeita de Bombinhas, Ana Paula da Silva, representando a Fecam, e do presidente do Conselho Estadual do Turismo, Rogério Siqueira.

O secretário nacional de Estruturação do Turismo, Neusvaldo Ferreira Lima, falou sobre o acesso a recursos do Ministério do Turismo. “Há uma demanda gigantesca para ser atendida, mas também há muitos casos já atendidos. Tem muitas prefeituras com recursos financeiros nas suas contas correntes. O volume hoje para Santa Catarina é de R$ 39 milhões de recursos em contas correntes aguardando medições de obras”, explicou.
Ele veio ao estado acompanhando de uma equipe que esteve disponível ao longo do dia para orientar os gestores dos municípios interessados. A equipe fez atendimentos individuais para cada município, apresentando o andamento das obras e os contratos vigentes, especialmente aquelas que estão paralisadas ou atrasadas.

Neusvaldo destacou que há no estado 239 contratos de obras celebrados com o MTur. Desse total, 116 estão paralisados por conta de questões burocráticas, como medições e falta de documentos. Há ainda 101 obras não iniciadas e 22 em andamento.
O secretário Pavan informou que o seminário quer despertar ainda mais a grande indústria do Turismo, que representa 12,5% do PIB do Estado. “Santa Catarina tem um potencial enorme no Turismo e muitas vezes temos equipamentos turísticos que estão adormecidos, que não tem projeto ou que falta desenvolver. Formamos uma grande equipe para ajudar cada região e município. Hoje vamos tratar do que vem sendo feito, o que precisa e qual o caminho a seguir. Não existe projeto turístico sem integração. Buscamos e vamos fazer com que as nossas cidades possam mostrar cada vez mais suas potencialidades turísticas”, disse.


O evento reuniu prefeitos, vice-prefeitos, vereadores, secretários municipais de Turismo, gestores e demais servidores públicos municipais envolvidos com a temática. Durante todo o dia os participantes acompanharam painéis e palestras com foco na gestão e capacitação do setor. Pela manhã, o secretário-adjunto da SOL, Francisco dos Anjos, apresentou as principais ações e diretrizes da secretaria. O consultor de captação de eventos da SOL, Eduardo Loch, falou sobre as relações entre o setor público e o privado para promoção e comercialização. Em seguida, o presidente da Santur S/A, Valdir Walendowsky, falou sobre o trabalho de promoção desenvolvido na empresa. Além da inserção de mídias em veículos de comunicação, ele destacou que é realizado um trabalho junto a agências de viagens, operadoras de turismo, empresas de receptivo e companhias aéreas para movimentar o fluxo. Ele apontou ainda a diversidade de destinos no estado como um diferencial para a promoção: “Cada etnia colonizadora nos dá originalidade, fazendo com que cada vez mais o turista descubra Santa Catarina”.


Em sua fala a assessora de turismo e cultura da Federação Catarinense de Municípios (FECAM), Raquel Rodrigues, comentou sobre o trabalho de difusão das informações às cidades. Uma das metas da entidade é ampliar o número de municípios no Mapa do Turismo, respeitando os critérios de vocação turística.


Já no período da tarde o diretor de Políticas Integradas do Lazer (PDIL), Carlos Cappelini, abordou a regionalização do turismo do estado. O Programa do MTur busca subsidiar a estruturação e qualificação das regiões, buscando fortalecer a identidade local e possibilitando a consolidação de novos roteiros como produtos turísticos rentáveis e competitivos, nos mercados nacional e internacional.


O seminário contou ainda com um espaço para diálogo: no final da tarde, cada uma das regiões turísticas teve oportunidade de falar sobre as demandas e desafios regionais.

 

Assessoria de Comunicação da SOL, com informações da Secom e Santur

Fotos: Saul Oliveira

 

 

Desenvolvimento: logo ciasc rodape | Gestão do Conteúdo: SOL | Tecnologia: Open Source | Acesso restrito